Separação

Separação  é um processo considerado pela maioria como: doloroso, difícil e longo.  Normalmente são entendidas como uma relação que não deu certo. Admitir para si mesmo que o relacionamento acabou é difícil porque é um projeto de vida….o divórcio acarreta uma quebra de compromisso que se assume consigo, com o outro, como os filhos e com a própria sociedade, pois espera se que o casamento dure para sempre. Muitas vezes para não fugir deste compromisso muitos casais permanecem infelizes até decidirem separar-se.

A separação inicia se como um segredo, um dos parceiros começa a sentir se desconfortável na relação muitas vezes a relação não é mais compatível com o sentimento que tem de si próprio, busca se fora algo que possa redefinir ou trazer de volta o valor próprio, autoafirmação que não obteve no relacionamento, reconhecimento, afeto, parceria e qualquer outro sentimento que possa existir. A separação não ocorre ao mesmo tempo para ambos, embora passando pelas mesmas transições começam e terminam em momentos diferentes.

Mesmo nos casos em que se constata que o relacionamento se tornou muito ruim, virar a página não costuma ser algo tão simples quanto gostaríamos. Afinal de contas, há uma história que foi construída a dois e onde foi feito um grande investimento de afeto, energia e tempo. Nossa própria identidade se liga a uma identidade de casal, onde são compartilhados hábitos, familiares, amigos e muitas vezes também filhos e um patrimônio. A ideia de abrir mão desta ligação, com toda a incerteza do que vem pela frente, não é propriamente a sensação mais confortável do mundo. Nem para quem é deixado e nem para quem decide terminar.

Os questionamentos são inevitáveis: “Será que eu estou realmente fazendo a coisa certa? Será que ainda vale a pena tentar? Ainda temos juntos coisas boas o suficiente para fazer isso dar certo? Será que vou encontrar outra pessoa com quem eu possa ser feliz novamente? E se depois eu descobrir que foi um erro?” A dificuldade para se achar certas respostas vem da dualidade desta vivência. Pode haver um tipo de conflito em que o relacionamento parece ser, simultaneamente, bom demais para se desistir e ruim demais para se insistir. Por um lado, não queremos jogar fora uma relação que ainda tenha algum valor. Por outro lado, existe vida depois da separação e ela pode ser realmente melhor (para ambos).

Quando tudo indica  que a separação e a alternativa mais adequada para o casal, dificilmente essa alternativa  é levada a diante quando aparece a ideia de se separar. Essa possibilidade é posta de lado, e passa se a conviver com os conflitos, sem resolve-los. Por esta razão a maioria dos casais demora a concretizar a separação. Desta forma a situação que antes poderia ser conduzida com uma certa simplicidade e objetividade se torna cada vez mais complexa e tensa.

Quem pensa em se separar normalmente adia a pauta por temer criar conflitos, mágoas e confrontos. Quem nutre o desejo em se separar mas cala se, tem o comportamento alterado com o passar do tempo com o outro. Tais mudanças podem ser percebidas pelo outro, que tentará dar uma explicação para elas, mesmo sem saber ao certo a que se devem tais mudanças, ira entende-las a partir de seu próprio referencial. E mesmo que a pessoa pergunte ao parceiro o porque dele estar diferente, dificilmente obterá uma resposta genuína verdadeira.

Os conflitos e as mágoas que foram motivos para não declarar ao outro o desejo de separação acabam ocorrendo do mesmo jeito.

Nesse cenário as emoções de ambos já estão alteradas e com o passar do tempo minam qualquer resquício de carinho, afeto, consideração e respeito. Ao dissimularem o desejo e o pensamento de se separar os parceiros constroem uma barreira onde poderia existir uma ponte.

Não faz muito sentido em encarar a separação como evidência do fracasso da relação, Devemos entender relações como parcerias, vínculos que se mantém enquanto os envolvidos encontrem sentido em estar juntos. Quando os parceiros passam a trilhar caminhos divergentes, interesses diferentes, sentimentos incompatíveis, conflitos irreconciliáveis, fica claro que o formato da parceria precisa ser mudado.

É preciso ter maturidade para encarar a separação não como um rompimento, mas como uma necessidade de transformação dessa relação, se possível trabalhando juntos na transformação dessa união em outro tipo de parceria. É importante que ambos se apoiem na construção de um novo futuro para cada um, para facilitar o desapego e impedir que a demora destrua o carinho e respeito que um nutre pelo outro.

Viver é constantemente recomeçar e existem várias formas de separação: as que ocorrem em paz e as que isso não e possível….

Independente de como ocorra é um período de reorganização pessoal, viver só traz a capacidade respirar, autoconhecimento, relacionamento com novos amigos,  amigos antigos, lazeres diferentes e psicoterapia  são fundamentais para essa reorganização.

É muito importante descobrir o que quer dar ao outro e o que gostaria de receber, afinal o risco de repetir inconscientemente os erros no próximo relacionamento é grande uma vez que existem forcas psíquicas procurando manter tudo como esta, tudo igual, mantendo seu padrão de funcionamento operando exatamente da mesma forma, por essa razão as escolhas muitas vezes se repetem embora declaramos que aquele tipo de relação não nos atende!

De fato não atende mesmo, porém se você não estiver consciente do que te mantém a uma relação doentia, disfuncional ou qualquer adjetivo que você queira dar ao seu relacionamento a possibilidade de entrar em outra bem parecida é ENORME!!! Pense em quantas pessoas você conhece que sempre se envolve com o mesmo tipo de pessoas….

Separação e Felicidade são termos muito abrangentes as razões pelas quais uma pessoa é feliz ou infeliz são relativos, mas eu acredito que a maior parte venham das conquistas, realizações pessoais e da satisfação com a própria vida; E as escolhas que fazemos durante todo esses processos é que ira determinar se seremos “felizes ” ou não.

Se você não tem coragem de mudar aquilo que faz com que sua vida não seja da forma que você gostaria, aceite que você fez uma escolha e tente ser feliz com ela. Eu costumo dizer: sua vida suas escolhas, suas decisões….!